INAJÁ-PE: Terra de missão

A cidade de Inajá está situada no sertão do Pernambuco, há 400km de Recife, capital do estado.

(Avenida principal da cidade)

Os primeiros habitantes da região foram os índios Pancararus e os índio Cariris os quais hoje estão localizados ao noroeste do município.

O nome Inajá é de origem indígena que quer dizer Palmeira Pequena, em homenagem às carnaubeiras existentes nas margens do Rio moxotó.

Seu primeiro nome foi Fazenda Espírito Santo. O desenvolvimento deu-se através de pequenos agricultores e criadores de cabritos, que se estabeleceram à beira do Rio Moxotó. A ocupação começou a evoluir gradativamente, até tornar-se povoado e ser elevado à categoria de Vila Espírito Santo, em 1943.

O distrito de Espírito Santo passou a denominar-se Inajá. No dia 2 de janeiro de 1949.

No município predominam as pequenas propriedades, fundamentadas na agricultura irrigada e agricultura de subsistência, abrangendo o cultivo de melão, banana, goiaba, melancia, maracujá, e acerola. Para subsistência, cultiva-se feijão, milho, mandioca, macaxeira, batata doce e outras.

As frutas são todas muito doces e saborosas.

Tem como limite territorial o Rio Moxotó,   o qual  marca a divisa entre os estados de Pernambuco e Alagoas e os municípios de Inajá e Mata Grande. (Este rio está hoje totalmente seco)

Casa da Irmãs: Parte superior com duas janelas. Embaixo, um salão para reuniões

O centro diocesano está situado na cidade de Floresta à 150 km de Inajá. A diocese é formada por 12 paróquias e dividida em 04 áreas pastorais. Pertencemos a área leste.

Para a caminhada pastoral, a paróquia é dividida em setores. A zona rural é formada de 09 setores. Há pouca liderança para as atividades, os poucos ficam sempre sobrecarregados.

A dimensão missionária é uma das prioridades diocesana para o triênio. Nas paróquias há o empenho e a preocupação para formação de equipe missionárias itinerantes a fim de acompanhar a zona rural bastante povoada.

Igreja Matriz de Inajá.

Feira: lugar de encontro das pessoas e lideranças da comunidades  Todas as segundas feiras.

O mamão é uma das frutas mais comuns na região. (Muito doce e sem agrotóxicos)

Postado em domingo, março 1st, 2015 a 19:02 e é arquivada sob Notícias, Vocação . Você pode seguir qualquer resposta para esta entrada através do RSS 2.0 feed. Os comentários e o contato estão encerrados.

6 comentário para “ INAJÁ-PE: Terra de missão ”

  1. Ir. Assunção Diz:

    Gostei da postagem, dá uma pequena ideia de onde estão nossas Irmãs. Creio que esse povo deve estar muito feliz coma chegada das Irmãs. Que o Bom Deus as ilumine e que Nossa Senhora A Virgem dos Pobres as acompanhe nessa Igreja de Inajá e que possam ajudar esse Povo de Deus a crescer na Comunhão e participação.

  2. Yolanda Maia Diz:

    Que linda missão essa nossa em Inajá, maravilha de Deus. Quantas frutas lindas e sem dúvida muito saborosas. A cidade tem até avenida e as Irmãs moram num sobrado repartindo a casa com o povo para os encontros. Missão abençoada por Deus e por Nossa Senhora dos Pobres. Rezamos sempre por vocês que aí estão testemunhando o amor de Deus aos mais pobres.

  3. Ir. Vera Lucia Diz:

    Que alegria conhecer um pouco mais sobre Inajá. Pois só amamos o que conhecemos e conhecer nos faz amar mais.Que Deus os abençoe a todos.

  4. Ir. Maria Reginato Diz:

    Gostei da reportagem. Deus abençoe o trabalho das Irmãs e da Igreja de Inajá. Que o Divino Espírito Santo ilumine a todos. Nossa Senhora dos Pobres seja amada e servida neste lugar.

  5. Eliane Diz:

    Que linda reportagem ! Deus abençoe este trabalho grandioso! Logo estarão colhendo os frutos desta plantação. Sucesso às irmas, nesta missão. Muito feliz em conhecer um pouquinho deste lugar. Saudades ! Eliane.

  6. Eliane Diz:

    Que bom conhecer um pouquinho deste país tão imenso, ainda mais conhecer através de projeto tão grandioso como este das irmãs de São Vicente de Paula. Que DEUS abençõe cada dia deste belo trabalho, com certeza grandes amizades serão efetuadas, pois dizem que o povo sertanejo tem o coração do tamanho deste mundo! Grande abraço ! Eliane . Campo Grande MS.